ORGÃOS SOCIAIS E PROGRAMA DE ACÇÃO 2011/2014

 

AGIR HOJE, ENFRENTANDO O FUTURO
A força do sector que representamos só pode ser medida pela união que demonstramos. Este é, efectivamente, um desígnio que pretendemos reforçar nestas eleições. A nossa representação no Conselho Superior Associativo da AEP, assim como a Vice Presidência da CIP –Confederação Empresarial de Portugal e, mais recentemente, a nossa entrada no Conselho do Comércio, dentro desta mesma Confederação, é hoje bem prova disso. Assim, entendemos que este mandato a que nos propomos permita ampliar a mesma voz, nomeadamente junto ao poder central. Mas não queremos ficar por aqui! As nossas áreas de intervenção e a nossa linha orientadora para o mandato dos próximos 3 anos,
apostam na:

- DIFERENCIAÇÃO –
Valorizar as nossas empresas no universo empresarial português; Promover a concorrência leal; Reforçar a ligação e a comunicação entre a AIPAN e os Associados; Promover os nossos produtos;
Valorizar o pão tradicional e artesanal através de campanhas conjuntas com outras organizações;
Relevar a importância sócio- -económica das nossas empresas nas regiões, nomeadamente na sustentabilidade ao emprego.

- CREDIBILIZAÇÃO –
ERS – Certificação objectiva e dedicada à nossa actividade e às nossas empresas;
Fomentar as relações associativas com as nossas congéneres nacionais e internacionais;
Reforçar definitivamente a relação AIPAN/Associado;
Sustentabilidade económica da AIPAN;
Erradicar de filiação associativa as empresas que não cumprem com as suas quotizações;
Melhorar e criar mais serviços de apoio às empresas e ao empresário;
Estabelecer protocolos com entidades e ou empresas que visem aumentarem e reforçar a competitividade das nossas empresas;
Apoiar e encaminhar projectos de internacionalização;
Reforçar as relações com as autarquias.
- QUALIFICAÇÃO -
Qualificar a profissão de padeiro;
Valorizar a profissão com a atribuição de carteiras
profissionais;
Promover encontros e acções técnicas com padeiros e pasteleiros de outras nacionalidades;
Continuar a assumir candidaturas aos projectos de formação modular e/ou específica;
Submeter a apreciação superior novos projectos específicos de
valorização empresarial e profissional;
Acreditação da AIPAN como entidade formadora.

EM JEITO DE CONCLUSÃO,
a lista A, concorrente aos destinos da AIPAN para o próximo triénio, fundamentará a sua intervenção em áreas que entende primordiais para o sólido e próspero crescimento da actividade associativa. Concretamente na sustentabilidade económico-financeira desta associação empresarial não podendo esquecer a sua empregabilidade assim como pretenderá valorizar o seu estatuto diferenciador neste sector no panorama associativo nacional para mobilizar os empresários e empresas a uma participação activa nos destinos futuros de um sector de urgente intervenção e reformulação legislativa.

Não esquecendo a frágil exposição ao actual contexto de dependência dos mercados das matérias-primas e energias. Existem hoje, mais do que nunca, as mais variadas razões para que se apele ao movimento associativo na sua maior força e envolvência, numa intervenção directa na vida activa da AIPAN mobilizados em torno de causas comuns e de objectivos convergentes.